1997

Espalha-se pelo planeta a notícia da bem sucedida missão Mars Pathfinder em Marte e as primeiras imagens do solo marciano para a Terra. As fronteiras se alargavam, enquanto os três aventureiros se resguardaram, no intuito de encher o baú de referências, perguntas, caminhos a trilhar.

Nando ouve de um amigo que as ideias de Stanislavski estavam ultrapassadas e que agora no Rio de Janeiro estavam em voga as ideias de Michael Checov. Surpreso, vai atrás de mais informações, fica fascinado pelo trabalho com a imaginação, mas não acha muito diferente de Stanislavski. E continua pesquisando. Encontra Brecht e Boal. Tudo o que aprende lendo aplica na prática junto com os colegas, num misto de sentimento romântico-rebelde-juvenil com um talvez anacrônico impulso vanguardista.

Tamara leva um tiro de chumbinho de uma arma levada por Miguel no ensaio de uma peça para escola. Nesse ano os integrantes do Grupo, (então alunos adolescentes de Ensino Médio), faziam cenas e espetáculos de seus trabalhos escolares e avaliações em todas as disciplinas em que conseguissem convencer os professores a aceitar avalia-los com teatro. Assim montaram vários espetáculos para a escola, sempre com surpreendente refinamento na produção tanto visual quanto performática que deixava estupefatos professores e os colegas alunos. Entre esses espetáculos desse ano destacou-se o “Show Hindu”, sobre a cultura do Hinduísmo. Nesse espetáculo um dos alunos de longos cabelos, o Bruno, se pintou dos pés a cabeça de azul e se caracterizou de Krishna, além de pesquisarem danças indianas o grupo contou com a participação especial de músicos hare-krishnas entre eles Julinho Pimentel e sua família Khriá (hoje vivem na Holanda) que tocaram mantras com instrumentos típicos indianos.

Nesse ano conhecem os atores Eduardo di Souza, Luzia Divina e Almeri Silvana todos da Casa de Teatro com quem estabelecem uma estreita relação de cooperação. Luzia empresta o espaço da Casa do Teatro para ensaios, Eduardo dá aulas em que Ruber e Nando participam, colaboram com o espetáculo Abaporu com direção de Eduardo. Nando faz a iluminação do espetáculo em Pirenópolis e em Goiânia conhece o ator e diretor Mauri di Castro em uma oficina no Centro Cultural Martim Cererê, que lhe mostra um truque de choque energético apenas com o toque de seus dedos! Curioso…!!!

Pablo entra para a turma de teatro do Lyceu de Goiânia coordenada pela professora Adriana Araujo do Grupo Guará.

< Voltar