2007

O ano começa todo focado na estreia de Travessia – Parte I: A Partida. No mesmo ano da estreia, o espetáculo é apresentado nos Festival de Teatro de Curitiba, Festival Ponti na Itália, Caruaru, Goiânia e Porangatu e em Teresina, onde recebe prêmios de melhor espetáculo, melhor diretor, melhor ator, melhor iluminação e melhor trilha sonora…

Com mais gente no barco é possível navegar mares ainda mais distantes, então o grupo decide expandir o festival de nacional para internacional, e este passa a se chamar “III Festival Internacional de Teatro do Corpo Ritual”. O evento tem o privilégio de receber grupos que pesquisam profundamente a arte de ator, da Itália ao Japão, de São Paulo a Curitiba, de Goiânia ao Rio de Janeiro. Estiveram presentes artistas e grupos como: Tadashi Endo, Centro de produção Teatral Via Rosse, Lume Teatro, Grupo Aburussu, Márcio Ballas da Cia. do Quintal, Barracão Teatro, Eduardo Okamoto…

12 dias de festa e 18 espetáculos do Internacional Festival de Teatro  do Corpo Ritual!

Muitas coisas inesquecíveis, entre elas…

O Barracão Teatro dá uma oficina de clown e uma de Commedia dell´Arte, e atores goianos podem ter contato com os ensinamentos imprescindíveis de Tiche Vianna, que há pouco preparara o elenco de “Hoje é Dia de Maria”. Para Tiche,  “(…) o ator não é um mero executor de tarefas, é um propositor da criação. A commedia trouxe muita referência sobre quem é esse propositor: o que ele precisa ter, como ele precisa agir, qual é a relação dele com a cena” e  “Não se disfarce na personagem. Sirva-se dela para dar o próprio depoimento, para se afirmar dentro da atualidade”. Simioni apresenta-se com o espetáculo “Sopro”, com direção de Tadashi Endo – futuramente um dos mestres que o Teatro Ritual busca para a criação de “Travessia”.  “Sopro” tinha uma particularidade – gastava 17m de papel e 12h de trabalho.  Mas não parava por aí. Foram apresentados 18 espetáculos ao todo, divididos em três mostras: “Riso frouxo”, “Arte de não interpretar” e “Solo Cerrado”, esta última trazendo “(BOD)-Y-STERIA”, com Andrea Pita, “Anjo Clandestino”, com Lua Barreto, “Redemoinho de contos” com Rosi Martins e “Sentimentos do Mundo” com Pablo Angelino. “Primeiro Desejo”, do Grupo Teatro Ritual, também estreia no Festival. Ah, não se pode esquecer o Cabaré da Meia-Noite… Ufa, não é à toa que dá no Diário da Manhã: “é o maior festival da cidade”.

Nando Rocha deixa o cargo de professor de teatro do Lyceu para se tornar professor do Centro de Estudo e Pesquisa Ciranda da Arte.

< Voltar