2008

Esse ano é marcado por uma viagem muito importante para a Alemanha, onde o grupo passa trinta dias em residência com o mestre japonês Tadashi Endo em Göttingen.

O grupo se empenha na montagem da segunda parte da Trilogia – “Travessia Parte II: De Tão Longe Venho Vindo” e conta com o apoio criativo e de tradução de Paula Beatriz e Leonardo… artistas do então Grupo Aburussu. Numa difícil viagem deixando o pai de Pablo em estágio terminal do câncer no Brasil, eles investigam o quão longe podem ir quando saem de suas casas, de sua terra, quando se lançam naquela velha estrada de rumos desconhecidos, a estrada das mutações, das transformações. “De Tão Longe Venho Vindo” tenta levar os espectadores para os confins do “não lugar”, este lugar que na verdade é o percurso de vidas que se esbarram, se repelem se fundem em eterna busca. Ao retornarem ao Brasil, Paula viaja até Goiânia e assessora a finalização da montagem que estreia no Encontro, no mês de junho. Antes de voltarem passam por Madri/Espanha, onde conhecem a sede do grupo Yllana e em Lisboa/Portugal onde conhecem a sede do Grupo Chapitô.

Uma mudança importante também marca esse ano: o nome do festival muda para “Encontro de Atores Criadores”, uma forma que o grupo encontra para melhor expor suas intenções com o evento. Muito mais que um festival com espetáculos, workshops e debates, aquele era um espaço para encontros, porque teatro é encontro. Encontro entre ator e público, entre atores. Encontro consigo mesmo. Nesse ano, Goiânia recebe pela primeira vez o Grupo Odin Teatret da Dinamarca, com o diretor e pensador de teatro Eugênio Barba, e grandes artistas do Odin como Julia Varley e IbenNagel Rasmussen. São orgulhosamente recebidos os mímicos do Etc e Tal do Rio, Cleber Lourenço de Pernambuco, os palhaços do UdiGrudi de Brasília, o palhaço de rua Chacovacci, e o palhaço espanhol Pepe Nuñes. Há um grande workshop intensivo de palhaço! Carlos Simioni do Lume Teatro retorna agora assessorando sua mestra Iben… Percebe-se a presença considerável de pessoas de várias partes do país que vêm no intuito de participar do Encontro. Atores de Brasília, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador e até do Ceará se deslocam para Goiânia. A execução parece perfeita. Há um grande público em todas as atividades. O Encontro deixará memórias…

Travessia Parte I continua se apresentando em temporada e em festivais, entre eles nesse ano se destaca o Festival Floripa Teatro – Isnard Azevedo e uma temporada promovida no Teatro Fábrica em São Paulo durante todo o mês de julho. O grupo morou junto durante um mês num apartamento na rua Frei Caneca. A poluição, o clima seco e o frio em São Paulo colocam um a um de cama. Tirando isso, se divertem bastante e aproveitam a São Paulo das baladas, e da cultura.

< Voltar